Procura por galpões e condomínios logísticos industriais mantêm-se estável



As informações do relatório mensal da Retha, indicam que, comparado ao mês de junho deste ano, a procura por galpões e condomínios industriais e logísticos manteve-se estável no mês de julho.


Mesmo sem alterações comparado ao mês de junho na procura por imóveis, a busca por galpões e condomínios logístico segue em tendência de alta no Brasil. De acordo com números atualizados, divulgados pela plataforma CRE Tool entre o primeiro e o segundo trimestre de 2021 houve um aumento de 0,97% na quantidade de condomínios no país, com estoque total saltando de 24.990.273,90 para 25.377.990,43m², um aumento de 1,55%.


A expectativa do mercado brasileiro, de acordo com dados do Banco Central permanece em alta. O Produto Interno Bruto (PIB), divulgado no Boletim Focus, apontou um aumento na média agregada de 5,17 do mês de junho para 5,30%. A taxa básica de juros Selic saltou de 6,50 para 7,00%.


No relatório apontado pela Retha, em julho, o segmento que mais procurou por galpões e condomínios logísticos industriais, foi de indústria com 15,90% das buscas, seguido pelo setor de logística com 13,63% e móveis com 4,54%.


Em julho os imóveis com metragem de 2.000m² representam 13,63% das buscas, seguido por 1.000m² com 11,36%, além dos imóveis com 1.500m² e 600m² que tiveram 9,09% da procura.


Leia Também:


A região mais procurada foi de Embu e Cotia com 18,18% do total, seguido por São Paulo 9,09% e a região de Jandira, Osasco e Alphaville com 6,81%.


De acordo com a plataforma SiiLA Brasil, a região de Embu é ocupada, em sua maioria, por empresas do segmento de transporte e logística com 26,69%, seguido do varejo com 23,13% e alimentos, bebidas e fumo com 10,66%.


A capital paulista, também apresenta maior ocupação no segmento de transporte e logística com 44,02%, seguido do varejo com 28,88% e alimentos, bebidas e fumo com 14,36%.


Já a região de Barueri, é ocupada em sua maioria, com empresas do segmento de transporte e logística com 33,47%, seguido do varejo com 22,74% e o segmento de tecnologia da informação com 5,76%.


Segundo a plataforma CRE Tool, no segundo trimestre de 2021, a região de Cotia que é composta por 17 condomínios industriais e logísticos, a taxa de vacância foi de 12,20% com absorção líquida de 221,42m². Já São Paulo, tem registrado 23 condomínios com taxa de vacância de 4,06% e absorção liquida de 2.623,25m². A região de Barueri é formada por 59 condomínios industriais e logísticos com taxa média de vacância de 12,68% e absorção liquida de 61.959,73m².


Para saber mais sobre notícias e informações referente ao mercado de galpões e condomínios logísticos e industriais, acompanhe @rethaimoveis nas redes sociais ou acesse www.retha.com.br

12 visualizações0 comentário